Araucária, 25 de dezembro de 2011

NOTÍCIAS

Escolas e Cmeis precisam de cozinheiras concursadas

A professora Kathleen Marczynski, que representa o Magistério no CAE, defende mais atenção do setor público para dar qualidade à alimentação escolar

Kathleen Marczynski

A alimentação escolar é financiada com recursos do município e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. O CAE (Conselho de Alimentação Escolar) é responsável por acompanhar e monitorar os recursos federais repassados pelo FNDE e garantir boas práticas sanitárias e de higiene dos alimentos.

Atualmente existem duas formas de alimentação em Araucária. Uma é com o preparo da comida nas unidades educacionais, feita por servidores ou terceirizados. O outro é pela Risotolandia, em que a empresa fica responsável pelo preparo e distribuição.

Este ano, a gestão municipal optou por preparar o alimento nas unidades e precisou contratar cozinheiras, mas o cargo foi extinto. Assim, foi feita uma licitação emergencial no início do ano para a contratação de cozinheiras terceirizadas por seis meses. Apenas seis escolas ficaram atendidas pela empresa.

Em setembro, nova licitação foi feita. Esta não cumpriu todas as exigências e foi cancelada. Como as crianças não podem ficar sem alimento, foi feito um aditivo no contrato da Risotolandia e hoje ela atende 26 escolas.

O CAE foi fazer a fiscalização e apurar denúncias. Observou em várias unidades o descumprimento do contrato, como servir comida em copos descartáveis e molho sem carne.

Como é a sua função, o CAE fez todas as notificações e comunicou ao Ministério Público sobre as irregularidades. O conselho quer que as normas sejam cumpridas e, no momento, está fiscalizando e fazendo tudo ao seu alcance para as crianças terem alimentação de qualidade.

A Prefeitura está elaborando uma nova licitação para contratar cozinheiras. Se não atrasar a publicação, para o início do ano letivo deve haver cozinheiras.

A nossa luta do Sismmar e do Sifar é por alimentação de qualidade. Também queremos a criação novamente do cargo de cozinheira. A terceirização já provou ser péssima. O Município não precisa mais manter isso.

Kathleen Marczynski representa o Magistério no CAE (Conselho de Alimentação Escolar)